sábado, 29 de novembro de 2008

Aquecimento global? O que eu tenho com isto? Não posso fazer nada!

Saber que vou perder uma das mãos amanhã, me causa mais stress do saber que vou perder um dos braços daqui há 1 ano.

É da natureza humana o foco no presente.

O prazer do hábito de fumar tem mais peso do que a probabilidade de sofrer, num futuro distante, as consequências de um câncer.

Nosso modelo,  baseado no consumo excessivo e supérfluo, na destruição dos recursos naturais,  é muito mais relevante, aos nossos olhos, do que um provável caos no clima daqui há 50 anos.

Se posso ter um veículo SUV que faz 6 Km/l por que trocar por um carro pequeno, sem status, que faz 15Km/l?

Se posso ir de carro até a padaria, por que iria a pé?

Se posso trocar “de graça” meu celular a cada 9 meses, por que não fazê-lo?

Por que consertar a sola do sapato, se posso comprar outro par?

Por que tenho que sacrificar meus “direitos”, se daqui há 50 anos, muito provavelmente, não estarei vivo (para sentir as consequências negativas de meu estilo de vida)?

Infelizmente, muitos de nós, ainda está num estágio muito primário de desenvolvimento ,  por falta de capacidade intelectual ou por problemas culturais. Não temos consciência de que a Vida Inteligente é uma ocorrência extremamente rara e frágil no universo... Não é um evento trivial e permanente, como acreditamos.

É um privilégio estar aqui, ver, sentir e poder refletir. É um privilégio tão magnífico, que o respeito às condições pró-vida deveria a ser prioridade número 1 de todos nós.

“Agir hoje de forma coletiva, pensando no amanhã” será o próximo estágio da evolução humana.  Neste estágio veremos mudanças no atual comportamento individualista, mudanças no atual estilo de vida consumista e mudanças nos pressupostos religiosos.

Não dá para sustentar as condições para nossa existência fazendo as mesmas coisas que estamos fazendo.

Meu caro Fernando, pensei sobre o que você disse ontem:  O que eu tenho com isto? Não posso fazer nada”.  Tomei a liberdade de deixar resgistrado aqui alguns trechos de nossa conversa, para você refletir melhor. Quem sabe, um dia a ficha cai, espero...

Veja esta apresentação (não interprete ao pé da letra, pense na mensagem) : http://br.youtube.com/watch?v=lgmTfPzLl4E


Um comentário:

Mariana Preto disse...

Aí sim! Esse vídeo é realmente muito bom e vale a pena divulgar, pois abre o nosso campo de visão sobre o consumismo e a cada vez que nos deixamos influenciar pelas propagandas, nos perguntamos: "realmente preciso disso?" Na maioria das vezes a resposta é "NÃO". E aí nos damos conta de que o mais importante é trabalhar pra melhorar o nosso SER e não o TER.